top of page
Redesignados sexuais _ Larissa Pitanga _ FISIOTERAPIA PÉLVICA E OBSTÉTRICA _ SALVADOR - BA

Redesignados Sexuais

A cirurgia de readequação sexual promove alteração anatômica devido à desinserção da musculatura superficial do assoalho pélvico, podendo comprometer sua funcionalidade.

Gostaria de compartilhar com vocês um tema muito importante e sensível: a fisioterapia pélvica no contexto da redefinição sexual.

 

É fundamental entender como essa prática pode ser um suporte essencial tanto antes quanto após o processo cirúrgico.

 

Para contextualizar, a redefinição sexual é um passo corajoso e crucial na jornada de muitos indivíduos LGBTQIAP+. No entanto, é também um momento que pode envolver desafios físicos e emocionais. É aqui que a fisioterapia pélvica entra em cena, oferecendo um suporte fundamental.

Antes da cirurgia, a fisioterapia pélvica pode desempenhar um papel vital na preparação do corpo, ajudando a fortalecer a musculatura, proporcionando maior conforto e promovendo a consciência corporal. Isso contribui para um processo cirúrgico mais suave e uma recuperação mais rápida e eficaz.

Após a cirurgia, a fisioterapia pélvica desempenha um papel igualmente importante na recuperação e adaptação. Ela auxilia na reabilitação, promove a cicatrização saudável e ajuda a restabelecer a função e o conforto pélvico.

Além disso, é fundamental destacar que o nosso consultório é um espaço caloroso e acolhedor para todos, especialmente para a comunidade LGBTQIAP+. Valorizamos a diversidade e respeitamos a singularidade de cada indivíduo.

 

Aqui, você encontrará um ambiente seguro, livre de julgamentos, onde a sua jornada é tratada com o respeito e a atenção que merece. Estou aqui para apoiá-los em cada passo dessa jornada. Se tiverem dúvidas ou quiserem compartilhar suas experiências, fiquem à vontade para enviar uma mensagem ou agendar uma consulta.

Alterações e complicações

A Cirurgia de redesignação sexual pode apresentar grandes problemas em relação ao assoalho pélvico (AP), devido ao fato de várias estruturas importantes do assoalho pélvico serem submetidas a retalhações para que se encaixem “perfeitamente”. Entre as complicações relacionadas a Cirurgia de redesignação sexual vão desde o ato cirúrgico até o pós operatório seja de forma imediata ou tardia.

 

Dentre elas destacam-se:

  • estenose vaginal

  • estenose uretral

  • prolapso vaginal

  • perfuração da parede vaginal

  • dor genital e sexual

  • fraqueza da parede vagina

​O papel da fisioterapia dá-se através de técnicas direcionadas ao tratamento das disfunções do assoalho pélvico, pode-se criar propostas terapêuticas com o objetivo de adequação da musculatura pélvica à sua nova inserção e a nova função; orientações e exercícios para manutenção do canal vaginal, ressensibilização e adequação sensorial, promover o incremento funcional desta nova inserção muscular ou visando minimizar as queixas relacionadas às consequências do pós-operatório.

bottom of page